Pessoas famosas

Os cidadãos da Polônia têm estado sempre presentes na história mundial. Todos eles deram um contributo intemporal, tornando o mundo melhor. Têm inspirado outros em vários feitos, bem como com os seus valores e carisma. Além disso, todos eles têm inflenciado o mundo além fronteiras.

João Paulo II (1920-2005)
João Paulo II (1920-2005)
Faustyna Kowalska
Faustyna Kowalska (1905 – 1938)
Maximilian Kolbe
Maximiliano Kolbe (1894-1941)
Jerzy Popieluszko (1947 –1984)
Jerzy Popieluszko (1947 –1984)
Fryderyk Chopin
Fryderyk Chopin
Maria Sklodowska – Curie
Maria Sklodowska – Curie
Nicolaus Copernicus
Nicolau Copérnico
Adam Mickiewicz (1798-1855)
Adam Mickiewicz (1798-1855)
Czeslaw Milosz
Czeslaw Milosz
(1911 – 2004)
  Wislawa Szymborska (1923 – 2012)
Wislawa Szymborska (1923 – 2012)
Krzysztof Penderecki (1933- )
Krzysztof Penderecki (1933- )
Lech Walesa
Lech Walesa
(1943-)

João Paulo II (1920-2005)

Provavelmente o polonês mais famoso de sempre, João Paulo II nasceu como Karol Józef Wojtyła na pequena cidade Wadowice. Elegido Papa pela Igreja Católica, em 1978, ele tornou-se o primeiro papa não italiano em 445 anos. Ele modernisou o papado e espalhou a crença internacionalmente, juntando católicos massivamente e tendo encontros frequentes com chefes de Estado.

Fryderyk Chopin

Um dos maiores músicos do Romantismo e de todos os tempos, Frédéric Francisco Chopin (nascido Fryderyk Franciszek Chopin) é um que faz parte do reino da música. De nascimento polonês, apaixonado por Paris como cidade que o acolheu, o seu talento musical resultou em mais de 200 composições que ainda hoje em dia são bastante ouvidas e admiradas pelos amantes da música em todo o mundo. A música de Chopin pode parecer enganosamente simples, mas elas é, de facto, altamente complexa e desafiadora. Lírico, lindo e poético, bem como técnico e harmonicamente desafiador – esta é a música de Chopin.

Maria Skłodowska-Curie

Maria Skłodowska-Curie (1867-1934), física e química polonesa de renome. Viveu e trabalhou em França. Foi a primeira mulher professora na Sorbona. Junto com o seu marido, Pierre Curie, descobriu os elementos químicos polônio e rádio, em 1898. Duas vezes foi galardoada do prémio Nobel: em 1903, em conjunto com o marido, em Física, pelas pesquisas sobre a radiação natural, e em 1911, foi premiada sozinha, em Química, pela extração de rádio puro. Em 1995, o seu corpo foi mudado para o Panteão de Paris; é a primeira mulher cujos restos descansam lá.

Nicolau Copérnico

Também conhecido como o fundador da astronomia moderna, Nicolau Copérnico foi a primeira pessoa a conceber a cosmologia heliocêntrica detalhada, que retirou a Terra do centro do Universo. A teoria heliocêntrica de Copérnico agiu como catalisador para a revolução científica dos séculos XVI e XVII, que é conhecida como a revolução copernicana. A sua obra mudou para sempre o lugar da Humanidade no Cosmos; não poderia mais o Homem legitimamente pensar que a sua importância é maior que a das suas semelhantes criaturas. Além de astrônomo, foi também um grande matemático, poliglota quadrilingual, erudito clássico, tradutor e artista.

Lech Walesa (1943-)

Foi o líder da greve no estaleiro de Gdansk. De 1980 a 1981 foi o chefe do Comitê Nacional da Solidariedade (Solidarność). Ele participou em negociações com as autoridades comunistas, cujo resultado foi o acordo alcançado nas conversações da Mesa Redonda, em 1989. Em 1990, foi eleito líder do movimento Solidariedade. Recebeu o Nobel da Paz em 1983 e foi Presidente da República da Polônia de 1990 a 1995. O Aeroporto Internacional de Gdańsk tem o nome dele.

Faustyna Kowalska (1905 – 1938)

Apóstola da Divina Misericórdia, profeta dos nossos tempos, grande mística, Senhora da Vida Espiritual - estes são os epítetos geralmente vinculados ao nome da Irmã Maria Faustina Kowalska, Santa Faustina, da Congregação das Irmãs da Mãe de Deus da Misericórdia. A Irmã Faustina é uma das santas mais populares e mais conhecidas da Igreja, bem como um dos maiores místicas da história da Igreja.

Maximiliano Kolbe (1894-1941)

O padre franciscano que encorajou a devoção a Virgem Maria e que se dedicou a rezar pelos hostis à Igreja. Em 1941, foi preso por razões pouco claras (povavelmente por atividades anti-alemães ou por dar refúgio a judeus) e foi enviado para Auschwitz. Ele voluntariou-se em dar a sua vida em vez da dum outro homem condenado à morte.

Jerzy Popieluszko (1947 –1984)

Jerzy Popieluszko foi um padre católico polonês, associado ao movimento da Solidariedade (Solidarność em polonês). Foi assassinado por três agentes comunistas da agência de serviços de inteligência e secretos poloneses, o Służba Bezpieczeństwa (em português: Serviço de Segurança do Ministério da Administração Interna), que depois foram julgados e condenados pelo assassinato. Foi reconhecido pela Igreja Católica como mártir, e foi beatificado a 6 de Junho de 2010.

Adam Mickiewicz (1798-1855)

Sem dúvida que é considerado um dos maiores poetas e prosadores da literatura polonesa, bem como um “wieszcz Narodowy” (em português bardo/poeta lírico nacional). Escriveu a epopeia nacional “Pan Tadeusz”. A sua fama pode ser comparada a Shakespeare o Pushkin. Ele é o autor de uma série de obras: Sonety Krymskie (Sonetos de Crimeia), Reduta Ordona, Konrad Wallenrod, Oda do Młodości (Ode à Juventude), Ballady i Romanse (Baladas e Romances), Dziady (poema, Véspera de antepassados), que consiste de três partes.

Czeslaw Milosz (1911 – 2004)

Poeta e prosador polonês. Fugiu para o Ocidente em 1951, escreveu um clássico anti-Estaline: “A Mente Cativa” (1953). Foi premiado com o Nobel de Literatura em 1980. Voltou à Polônia após a queda do comunismo.

Wislawa Szymborska (1923 – 2012)

Poeta e e ensaísta polonesa. Recebeu o Nobel de Literatura em 1996. A sua poesia é de precisão irônica e ambigüa.

Krzysztof Penderecki (1933- )

Não pode ser omitido por pertencer aos compositores contemporâneos e músicos que criam música clássica polonesa. Pode dizer-se que ele se tornou geralmente popular e admirado quando participou num famoso festival polonês: “Warszawska Jesień” (Outono Varsoviano), onde apresentou as suas obras: Strofy (Estrofes), Psalmy Dawida (Salmos de David) e Emanacje (Emanações).